Hello folks! Happy Walpurgis! (Swedish: Vappen, Finnish: Vappu) (Tradução em baixo)

Today, April 30, and tomorrow, May 1, some of us in Europe celebrate what’s known as Walpurgis! This is one of the four largest celebrations in Finland, and it is particularly celebrated by students (unfortunately, usually with way too much booze). This brings up the question, to celebrate or not to celebrate?

As you know, I was born in Hong Kong, had a childhood in Finland, spent most of my teens in The Netherlands and am now in Brazil. Each of those countries have their common and their own celebrations. That brings about a dilemma: where do I feel the most at home, and what festivities should I observe? Of course, things like Christmas and Easter are pretty common in my book, but what about independence days, or saints that only some countries comemorate (e.g. Saint Nicholas in Holland, see video below), or the used-to-be-important-for-me Finnish midsummers (which is midwinter where I live right now), or Brazilian highlights such as the carnival?

I can imagine that some of you’re now thinking “wow, so many opportunities to party!”, but the truth is that I basically celebrate no important dates anymore, except for the absolute highlights of the year (Christmas and New Year). I might take a day off from all my work on some events, but being a globetrotter and world citizen, it’s a bit sad that most things that used to matter to me have kind of lost their charm. I know when they take place, but no more do I feel what I used to feel about them. That might come down to geographic issues. Since I’m not around where things take place, or in a place where I don’t have historical ties, it’s difficult for me to feel that special vibe. For example, Christmas isn’t really a real Christmas for me unless I’m in Finland.

Saint Nicholas (“Dutch Christmas”) celebration in Holland:

That being said, I still feel enriched for having gotten to know many traditions of many countries, and that I am able to at least in my mind (and on Facebook!) be together with people that I have memories with from important celebrations. Most of it might be nostalgia, but I do hope that if or when I leave Brazil, I will have some memories to look back on as well, with people here that mattered to me, with which I got to celebrate.

PS. Check out more photos below!


Olá galera! Feliz Noite de Santa Valburga! (Sueco: Vappen, finlandês: Vappu)

Hoje, 30 de abril, e amanhã, 1 de maio, alguns de nós na Europa comemoramos Noite de Santa Valburga! Na Finlândia, isso é uma das celebrações maiores do ano, e é, normalmente, comemorado pelos estudantes (mas, infelizmente, usualmente com muito alcóol). Isso levanta a pergunta, comemorar ou não?

Como já sabem, fui nascido em Hong Kong, cresci na Finlândia, passei minha adolescência na Holanda e agora moro no Brasil. Cada um desses países tem seus datas importantes e comuns. Isso cria um dilema: onde me sinto em casa e quais dessas festividades devo comemorar? É claro, coisas tais que o Natal e a Páscoa comemoro sempre, mas que tal dias das independências, ou santos importantes apenas em alguns países (exemplo São Nicolau de Mira na Holanda), ou verão pleno (fim de junho) na Finlândia, que costumava ser importante pra mim, ou coisas importantes brasileiras, tal que o Carnaval?

IMG_6937
Natal em Amsterdã, Holanda (Christmas in Amsterdam)

 

Imagino que agora alguns de vocês estão pensando “uau, tantas oportunidades pra festar!”, mas a verdade é que hoje em dia basicamente não comemora nenhumas datas importantes, salvo os mais importantes mesmos do ano (O Natal e Ano Novo). Nos eventos certos, tiro um dia de folga pra descansar, mas sendo um globetrotter e cidadão do mundo, é meio triste que a maioria das coisas que costumavam ser importante pra mim, já perderam os encantos deles. Sei quando aconteçam os eventos, mas não mais me sinto como sentia sobre eles. Talvez seja por causa da geografia, uma vez que não esteja onde eles acontecem ou num lugar onde tenho memórias. Por isso, está difícil pra mim sentir aquele “vibe” especial. Por examplo, O Natal não e um Natal de verdade a não estar na Finlândia.

Dito isto, ainda me sinto enriquecido por tendo chegado a conhecer muitas tradicões em muitos países, e, pelo menos na mente (e no Face!), possa estar com a galera com quem tenho memórias de eventos importantes. A maioria disto talvez seja nostalgia, mas espero muito que se ou quando eu for embora do Brasil, também terei daqui algumas recordações pra olhar pra trás com pessoas que foram importantes pra mim, com quem comemorei.

Advertisements